Sete pessoas vão processar Donald Trump por terem sido bloqueadas no Twitter

O processo ao presidente dos Estados Unidos foi apresentado pelo Knight First Amendment Institute, da Universidade de Columbia, um grupo que defende o direito à liberdade de expressão.

A intenção de processar Donald Trump não é novidade: a 6 de junho deste ano, o Knight First Amendment, da Universidade de Columbia, já tinha enviado uma missiva ao presidente dos Estados Unidos a pedir para desbloquear os utilizadores que tinha bloqueado no Twitter ou seria processado.

O processo que deu agora entrada no tribunal argumenta que “a conta @realDonaldTrump funciona como um ‘fórum público’ tendo em conta a Primeira Emenda [que estabelece as liberdades de expressão e de imprensa] e, consequentemente, o bloqueio baseado nas opiniões dos nossos clientes é inconstitucional”.

Além disso, os advogados do Knight First Amendment consideram que, ao bloqueá-los no Twitter por causa de comentários críticos do presidente norte-americano, a Casa Branca está a negar a estes utilizadores o seu direito a exigir reparações ao governo.



Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *