China bloqueia Wall Street Journal e Reuters

Os sites chineses do The Wall Street Journal e da Reuters foram bloqueados pela Grande Firewall da China; no entanto, as versões inglesas continuam acessíveis.

O jornalista do WSJ, Paul Mozur, tweetou as “novidades” esta sexta-feira, a partir de Pequim.

As razões que levaram o governo chinês a bloquear os dois sites não conhecidas e não se sabe se este bloqueio será permanente ou temporário.

Já a semana passada, o The New York Times noticiou que um jornalista de longa carreira da Reutes, que passou grande parte da sua carreira na Ásia, não conseguiu obter um visto de jornalista.

Esta nova ronda de censura no país surge alguns dias depois de o terceiro Plenário do Partido Comunista Chinês ter terminado e, subsequentemente, a comunicação social tem publicado as suas análises.

No último verão, o governo chinês bloqueou vários sites de notícias depois de terem sido revelados detalhes sobre uma fortuna secreta do então primeiro-ministro chinês, Wen Jiabao. O The York Times, a Bloomberg e a Businessweek foram então acrescentados ao longo índice de sites censurados no país e esses bloqueios ainda não foram levantados.



3 comentários a “China bloqueia Wall Street Journal e Reuters”

  1. […] Um grupo de activistas encontrar uma maneira de contornar a Grande Muralha da China para desbloquear o site chinês da Reuters, que foi censurado a semana passada. […]

  2. […] Um grupo de activistas encontrar uma maneira de contornar a Grande Muralha da China para desbloquear o site chinês da Reuters, que foi censurado a semana passada. […]

  3. […] autoridades chinesas têm já um longo historial de bloquear vários serviços online, assim como de perturbar o seu funcionamento de forma a torná-los completamente inúteis. Esta […]

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *