Mundo Louco 27/9 (CMTV)

Há situações insólitas, caricatas ou até mesmo extraordinárias. A criatividade ou a simples estupidez humana são alguns dos ingredientes que fazem o dia a dia neste Mundo Louco.

Esta é a história de Tanya, uma rapariga que cometeu suicídio em 2011 e antes de pôr termo à vida ligou ao irmão, Eric, para tentar pedir desculpa por causa de uma discussão que tinham tido e para, de alguma maneira, poder despedir-se. Disse-lhe que gostava muito dele, que tinha muito orgulho e que tinha a certeza que ele ia vingar na indústria cinematográfica. Para além disso, deixou-lhe as poupanças dela de cerca de 20 mil euros.

Então entrou em contacto com vários realizadores, para criar uma curta-metragem que ajudasse ao debate sobre saúde mental e ajudar a prevenir o suicídio. Era uma espécie de homenagem à memória da irmã.

Stephen Reedy, um realizador que Eric admirava, gostou da ideia e decidiu ajudá-lo. Foi então que surgiu The Forge, uma curta-metragem de cerca de 4 minutos. Apesar de ter uma história bastante complexa a nível emocional, a mensagem que queria passar é bastante simples: podem acontecer coisas boas quando tudo parece correr mal e todos conseguimos lutar contra os nossos demónios.
O guião da curta-metragem é uma carta que o Eric escreveu à irmã depois de ter morrido e ilustra a luta que ele teve de passar depois da morte da irmã. A curta mostra o Eric a lutar contra uma figura … num cenário infernal e dantesco, a ilustrar a luta emocional contra a depressão. Para além disso, podem ver-se vários filmes caseiros do Eric com a irmã durante a curta-metragem.

A Tanya morava em Boston e sofria de depressão quando perdeu o emprego e o namorado acabou com ela. Por isso, quando regressou a casa em Chicago estava à procura de um refúgio emocional. Recorreu a terapia, medicamentos e teve o apoio da família mas não conseguiu lidar com a depressão e acabou por pôr termo à vida. Tinha 30 anos quando se suicidou.
Na elegia de Tanya, o Eric disse aos amigos e familiares que era saudável e até necessário partilhar as nossas dores com os outros e é essa a mensagem principal da curta-metragem.

Segundo os censos de 2001, cerca de 71 mil portugueses sofrem de qualquer tipo de doenças mentais. O vídeo no YouTube tem cerca de 350 mil visualizações, o que não chega para ser considerado viral, mas os comentários deixados no vídeo mostraram a maneira como o vídeo os ajudou a perceber os problemas e que realmente não valia a pena acabar com a própria vida.



Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *