Image Image Image Image Image Image Image Image Image Image

Caminhos Dedicados | March 28, 2017

Scroll to top

Top

One Comment

China tem mais censores do que soldados

China tem mais censores do que soldados

| On 09, Out 2013

A China tem cerca de dois milhões de pessoas a monitorizar a Internet. De acordo com um relatório publicado pelo Beijing News, o número de funcionários que controla comentários online e elabora relatórios ultrapassa o milhão e meio de soldados chineses no activo.

Pode por isso dizer-se que existe uma indústria dedicada ao controlo das redes sociais na China, onde os comentários pode rapidamente tornar-se virais num universo de cerca de 500 milhões de internautas.

O People’s Daily, jornal oficial do Partido Comunista Chinês, organiza este mês um seminário de quatro dias onde os participantes pode tornar-se “analistas da opinião pública” certificados. Assim que concluam o seminário, podem ocupar cargos no departamento da propaganda chinês, empresas comerciais, sites de notícias ou empresas de relações públicas.

A monitorização das redes sociais — uma medida que visa a estabilidade social no país — tornou-se numa “máquina de fazer dinheiro para o governo e outras empresas do sector”, afirmou Guobin Yang, professor de Sociologia e Comunicção na Universidade da Califórnia do Sul. O People’s Daily cobra cerca de 500 euros por um seminário de quatro dias, acrescentou.

Para quem quiser mais do que uma simples monitorização, existem empresas de “relações públicas clandestinas” que oferecem serviços que eliminam críticas negativas ou bloqueiam certos termos de procura. De acordo com um relatório de Fevereiro deste ano, elaborado pela Century Weekly, estes serviços podem custar entre 1.250 e 125 mil euros.

Comments

Submit a Comment