Image Image Image Image Image Image Image Image Image Image

Caminhos Dedicados | January 22, 2017

Scroll to top

Top

One Comment

Microsoft compra Nokia por 5,4 mil milhões de euros

Microsoft compra Nokia por 5,4 mil milhões de euros

| On 03, Set 2013

A Nokia vai deixar de produzir telemóveis, uma vez que a Microsoft se prepara para comprar a divisão Devices & Services da companhia por 5,4 mil milhões de euros, numa operação que deverá estar concluída no início de 2014.

A Devices & Services gera anualmente em média 14,9 mil milhões de euros, que representou 50 por cento do total da facturação da Nokia em 2012. As 32 mil pessoas empregadas — 4.700 só na Finlândia — por esta divisão da Nokia serão transferidas para o novo accionista.

Dos 5,4 mil milhões de euros oferecidos pela Microsoft, 3,79 mil milhões são para a compra da parte produtora de telemóveis da Nokia, destinando-se os restantes 1,65 milhões de euros para a cedência de patentes durante 10 anos.

Para além deste valor, a Microsoft vai pagar à Nokia por uma licença de 4 anos para o uso do HERE, um serviço de mapeamento e localização desenvolvido pela empresa nórdica e que, de acordo com a própria Nokia, é um dos seus pilares estratégicos para o futuro, a par da sua infraestrutura de rede (NSN).

Com a concretização deste negócio, a Nokia abandona definitivamente o mercado dos smartphones. Trata-se de um ponto de viragem e reinvenção para a Nokia e os seus trabalhadores. Nos últimos anos, o negócio dos telemóveis foi perdendo terreno para os novos players do mercado — Apple e Samsung. No segundo trimestre deste ano, os prejuízos atingiram os 5 mil milhões de euros e a empresa vendeu cerca de 54 milhões de equipamentos, uma queda de 27 por cento em relação ao período homólogo.

Por outro lado, com esta compra, a Microsoft pretende aumentar a sua quota no mercado dos telemóveis, tentando ganhar terreno à Apple (iOS) e Google (Android) com o Windows Phone. O acutal presidente executivo da Nokia, Stephan Elop, é visto como o sucessor natural de Steve Ballmer, que abandonou recentemente o cargo de CEO da Microsoft.

Comments

Submit a Comment