A aldeia volta a abrir-se ao mundo de 9 a 12 de Agosto 0

Já há data marcada para o BONS SONS! Cem Soldos volta a abrir-se ao mundo de 9 a 12 de Agosto e até já tem um nome confirmado.

Se Agosto é o mês em que a música popular atravessa as aldeias de norte a sul, do litoral ao interior de Portugal, Cem Soldos não podia ser excepção e organiza este ano a nona edição do BONS SONS, uma versão moderna dessa tradição tão portuguesa que são as festas da terrinha.

O primeiro nome no cartaz são os quartoquarto, projecto de João Vidigueira (voz), Luís Lucena (guitarra eléctrica e baixo), João Abelaira (teclados/synths) e Diogo Sousa (bateria e sampler). O grupo chega à aldeia depois de ter vencido a última edição do Festival Termómetro.

Os bilhetes são colocados à venda a 1 de Fevereiro. Até 30 de Abril, o passe de quatro dias custa 30 euros; depois, e até 31 de Julho, o preço aumenta para 40 euros. À porta do festival o preço é de 45 euros. Já os bilhetes diários são 20 euros até 31 de Julho e 22 euros à porta.

E se pudesses ir ao FORTE o resto da tua vida? 0

O Festival Forte continua a campanha de crowdfunding para a edição de 2018 e com algumas ofertas bastante interessantes: podes alugar uma torre durante uma das noites, ter bar aberto durante o festival ou até comprar um bilhete vitalício. O Castelo de Montemor-o-Velho acolhe o festival entre 30 de Agosto e 2 de Setembro.

A primeira oferta é a do bilhete geral a metade do preço (apenas 65 euros), que inclui campismo durante o festival. Terminada a campanha de crowdfunding, começam os anúncios dos artistas que vão actuar no festival e o preço sobe para 80 euros.

Outras ofertas incluem algum merchandising do festival, incluindo t-shirts, hoodies ou até tirar uma selfie com o artista favorito numa Polaroid autografada, mas, pelo preço certo, é até possível ter bar aberto durante o festival, arrendar uma das torres por uma noite ou até comprar um bilhete vitalício para o FORTE.

O bar aberto custa a “módica” quantia de 400 euros e inclui a entrada para os três dias do festival. Já o bilhete “vitalício” custa mais 50 euros, mas não inclui a opção “all you can drink”. Já o aluguer de uma das torres do castelo de Montemor-o-Velho custa 1.500 euros e está disponível por uma noite para quatro pessoas ou 2 mil euros para oito, também durante uma noite. Ambas as ofertas incluem bar aberto para essa noite.

Há ainda ofertas que incluem dois bilhetes para o FORTE, estadia num hotel de três estrelas, transporte de e para o recinto e ainda um Welcome Pack (475 euros) ou bilhete e a estadia numa tenda para duas pessoas perto do recinto (500 euros).

 

Justice regressam a Portugal para o SBSR 0

Depois do fantástico concerto no NOS Primavera Sound, no Porto, o ano passado, os Justice preparam-se para voltar a Portugal para o primeiro dia do Super Bock Super Rock.

Lê aqui tudo o que já se sabe do SBSR

A dupla francesa regressa assim a palcos portugueses e junta-se a Slow J, The xx, Baxter Dury, Lee Fields and the Expressions, SEVDALIZA e Torres.

Os bilhetes já estão à venda. Até dia 30 de Junho, o passe para três dias custa 109 euros e os bilhetes diários são 55 euros cada. O passe VIP + Front Stage vale 260 euros e o bilhete diário VIP, também com Front Stage, fica por 150 euros.

Depois desta data, todos os preços aumentam cinco euros. As entradas podem ser compradas na Blueticket, FNAC, Worten, El Corte Inglés, ABEP, Portimão Arena, Turismo de Lisboa, Media Markt, MEO Arena, rede PAGAQUI e nas agências Top Atlântico.

Já são conhecidos os primeiros dez nomes do NEOPOP 0

Já são conhecidos os primeiros dez nomes do NEOPOP de 2018, que regressa ao Forte de Santiago da Barra, em Viana do Castelo, de 9 a 11 de Agosto. O anúncio foi feito através das redes sociais do festival.

Apollonia, Ben Klock, Jeff Mills, Joseph Capriati, Lewis Fautzi, Nastia, Solar, Solomun, Trikk e Zadig são, para já, os primeiros nomes confirmados.

Os bilhetes para o NEOPOP estão à venda na loja oficial do NEOPOP. Para já, há uma oferta especial de Natal que inclui um bilhete geral para os três dias (que inclui campismo durante o festival) e ainda um chapéu da edição do ano passado e uma caneca (2016) ou um saco do ano passado. A oferta inclui os portes de envio.

Super Bock Super Rock dá-nos quatro prendas de Natal 1

Conhecido o primeiro cabeça de cartaz do Super Bock Super Rock, o cartaz do festival começa a compor-se e hoje conhecidos os primeiros nomes do Palco EDP: Lee Fields & The Expressions, TORRES, SEVDALIZA e Baxter Dury.

O anúncio foi feito pouco dias antes do Natal, como que para convencer-nos a comprar bilhete para o festival que regressa ao Parque das Nações, em Lisboa, entre 19 e 21 de Julho do próximo ano.

TORRES e Lee Fields & The Expressions actuam a 19 de Julho no Palco EDP; já Baxter Dury e SEVDALIZA – que este ano encheu a Sala Montepio do Vodafone Mexefest num concerto bastante intimista – sobem ao palco a 21.

Os bilhetes já estão à venda. Até dia 30 de Junho, o passe para três dias custa 109 euros e os bilhetes diários são 55 euros cada. O passe VIP + Front Stage vale 260 euros e o bilhete diário VIP, também com Front Stage, fica por 150 euros. Depois desta data, todos os preços aumentam cinco euros. As entradas podem ser compradas na Blueticket, FNAC, Worten, El Corte Inglés, ABEP, Portimão Arena, Turismo de Lisboa, Media Markt, MEO Arena, rede PAGAQUI e nas agências Top Atlântico.

The xx são a segunda confirmação para o Super Bock Super Rock 2

Já é conhecido o segundo nome do Super Bock Super Rock 2018, que regressa ao Parque das Nações a 19, 20 e 21 de Julho do ano que vem. Os britânicos The xx, que este ano actuaram no palco principal do NOS Alive, são os primeiros cabeças de cartaz e actuam no Palco Super Bock no primeiro dia do festival.

Slow J é o primeiro nome do Super Bock Super Rock 2018

Romy Madley Croft, Oliver Sim e Jamie Smith regressam aos palcos portugueses depois de em 2017 terem apresentado “I See You“, que nos deu singles como “Hold On” ou “Replica“. Conhecidos pela sonoridade minimalista mas eclética – desde R&B ao rock alternativo com alguns toques de electrónica – e energia contagiante que apresentam em palco, conseguiram granjear uma base de fãs bastante larga.

Estrearam-se em 2009 com “Crystalised“, o single que deu o nome ao primeiro álbum de originais, que rapidamente conquistou o público e a crítica. Seguiu-se “Coexist” a confirmar as primeiras impressões, com os singles “Angels” e “Chained“.

Funcionário do Twitter apaga conta de Donald Trump no último dia de trabalho 0

A conta de Donald Trump no Twitter esteve fora do ar, na noite desta quinta-feira, durante cerca de onze minutos. Inicialmente o Twitter afirmou ter-se tratado de um acidente, mas veio a revelar mais tarde que se trato de um acto deliberado de um funcionário no último dia de trabalho.

Trata-se da conta pessoal do presidente norte-americano, onde conta com mais de 41 milhões de utilizadores. Apesar de ter uma conta oficial (@POTUS), é pela conta @realDonaldTrump que o presidente norte-americano costuma fazer as suas declarações públicas e críticas e ataques aos adversários internos e internacionais.

Pouco tempo depois, o Twitter explicou que se tratou de “um erro humano de um funcionário” que estava no último dia de contrato com a empresa. O Twitter está a investigar o que aconteceu e vai tomar medidas para evitar que situações semelhantes tornem a acontecer.

Já estão à venda os bilhetes para o NOS Alive 2018 0

O NOS Alive já colocou os bilhetes à venda para a edição de 2018 do festival que todos os anos anima o Passeio Marítimo de Algés. O preço dos bilhetes diários é de 65 euros e o passe geral custa 149€ e podem ser comprados aqui.

Ainda não há nomes confirmados para o NOS Alive 2018, mas a organização promete, à semelhança dos anos anteriores, o melhor cartaz de sempre.

Zé Castro apresentado na Académica 0

Zé Castro foi apresentado esta terça-feira aos adeptos e sócios pelo presidente da Académica, Pedro Roxo. O defesa central, de 34 anos, regressa a Coimbra depois de assinar contrato por uma temporada pelos estudantes.

China tem mais censores do que soldados 1

A China tem cerca de dois milhões de pessoas a monitorizar a Internet. De acordo com um relatório publicado pelo Beijing News, o número de funcionários que controla comentários online e elabora relatórios ultrapassa o milhão e meio de soldados chineses no activo.

Pode por isso dizer-se que existe uma indústria dedicada ao controlo das redes sociais na China, onde os comentários pode rapidamente tornar-se virais num universo de cerca de 500 milhões de internautas.

O People’s Daily, jornal oficial do Partido Comunista Chinês, organiza este mês um seminário de quatro dias onde os participantes pode tornar-se “analistas da opinião pública” certificados. Assim que concluam o seminário, podem ocupar cargos no departamento da propaganda chinês, empresas comerciais, sites de notícias ou empresas de relações públicas.

A monitorização das redes sociais — uma medida que visa a estabilidade social no país — tornou-se numa “máquina de fazer dinheiro para o governo e outras empresas do sector“, afirmou Guobin Yang, professor de Sociologia e Comunicção na Universidade da Califórnia do Sul. O People’s Daily cobra cerca de 500 euros por um seminário de quatro dias, acrescentou.

Para quem quiser mais do que uma simples monitorização, existem empresas de “relações públicas clandestinas” que oferecem serviços que eliminam críticas negativas ou bloqueiam certos termos de procura. De acordo com um relatório de Fevereiro deste ano, elaborado pela Century Weekly, estes serviços podem custar entre 1.250 e 125 mil euros.

« Página anteriorPróxima página »